CONSUMIDOR DEVE PESQUISAR PREÇOS E BUSCAR ALTERNATIVAS DE CONSUMO PARA SE PROTEGER DA INFLAÇÃO

0
213

A alta da inflação’ principalmente nos alimentos e nos serviços’ tem causado impacto direto no orçamento doméstico das famílias brasileiras. Segundo os economistas da Serasa Experian’ o aumento nos preços diminui o poder de compra do consumidor’ ou seja’ seu dinheiro acaba valendo menos no final do mês. Maneiras simples podem ajudar o cidadão a se defender da inflação e não desequilibrar as finanças pessoais’ como pesquisar preços’ buscar alternativas de consumo e substituir produtos e serviços por outros mais baratos.

Lançado neste mês’ o Indicador Serasa Experian de Educação Financeira mostrou que 39% da população acharam falsa a afirmação de que em um país onde a inflação é alta’ os preços não se alteram tanto com o tempo. Ainda de acordo com o índice’ 49% da população não soube responder a pergunta de quanto fechou em 2012 a taxa acumulada de inflação no Brasil. Apenas 21% das pessoas responderam da forma correta’ entre 4% e 7%. De acordo com os economistas’ o brasileiro conhece o fenômeno da inflação’ mas têm dificuldades em compreender e administrar seus recursos e dívidas quando os preços sobem.

O indicador também apontou que quanto mais pessoas da família são envolvidas nas decisões financeiras’ maior o nível de educação financeira do brasileiro. Por isso’ para controlar o orçamento mensal’ a principal dica é se reunir com os outros integrantes da casa e anotar todos os produtos e serviços consumidos no mês’ desde as despesas com aluguel e combustível até os pequenos gastos com o pão de queijo e o cafezinho na padaria’ para comparar com o mês seguinte. Com isso’ é possível saber o que sofreu ou não reajuste de preço no período e acordar entre todos o que precisa ou não ser cortado.

De acordo com os economistas da Serasa Experian’ outro ponto importante é ficar atento aos gastos que incorporam juros’ como o rotativo do cartão de crédito e novas compras parceladas’ além do cheque especial. Isto porque’ com a inflação subindo’ a tendência é de alta na taxa básica de juros no crédito’ que deve ser repassada ao consumidor.

Para a criação do Indicador Serasa Experian de Educação Financeira foram entrevistadas – no primeiro trimestre de 2013 – 2.002 pessoas maiores de 16 anos de idade’ em 142 cidades de todos os Estados brasileiros e do Distrito Federal’ incluindo capitais’ periferia e interior. O índice analisou o brasileiro em três dimensões: o Conhecimento’ a Atitude e o Comportamento no que se refere às finanças pessoais e familiares. O novo Indicador’ que trabalha em uma escala de 0 a 10′ apontou que a população brasileira tem uma educação financeira nota 6’0. Quanto maior o índice’ maior o nível de educação financeira.

 

Confira abaixo 5 dicas para adaptar o orçamento aos tempos de inflação:

1ª Procure alimentos substitutos aos que estão subindo de preço. Por exemplo’ o feijão por lentilha. Evite as frutas e verduras fora da estação. Não deixe nunca de pesquisar preços;

2ª Verifique quanto custa os serviços’ peça desconto e racionalize os gastos. Adotar planos familiares de internet’ celular e televisão a cabo podem ajudar a economizar;

3ª Cuidado com o cartão de crédito’ o cheque especial e compras financiadas. A tendência é de alta nos juros;

4ª O cartão de crédito também tem serviços parceiros que oferecem descontos (cinemas’ escolas’ restaurantes’ assinatura de jornais). Aproveite;

5ª Os remédios estão mais caros. Procure comprar os genéricos e informe-se sobre descontos que as farmácias dão a determinados planos de saúde e laboratórios. Além disso’ alguns laboratórios oferecem descontos de até 50% para remédios de uso contínuo’ mas é preciso fazer um cadastro no site da empresa. Visite a página na internet do fabricante do medicamento ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.