CONSUMIDOR DEVE USAR A PRIMEIRA PARCELA DO 13º SALÁRIO PARA PAGAR DÍVIDAS

0
166

Os consumidores que trabalham têm até o dia 30 deste mês para receber a primeira parcela do décimo terceiro salário. Os economistas da Serasa Experian orientam que o cidadão utilize o dinheiro extra para pagar dívidas’ priorizando aquelas que possuem juros mais altos’ como o rotativo do cartão de crédito e o cheque especial.

Se o dinheiro não for suficiente para pagar tudo’ o consumidor pode utilizar o décimo terceiro para quitar parte dessa dívida com uma entrada. Substituir uma dívida cara por uma mais barata também pode ser uma alternativa’ como a contratação de um empréstimo consignado que’ do ponto de vista do crédito pessoal’ possui as taxas de juros mais baixas do mercado.

O consumidor também precisa pensar nas despesas futuras. A orientação dos economistas da Serasa Experian é poupar parte do dinheiro extra para utilizar no abatimento de despesas do fim e início de ano’ como férias’ IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores)’ IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e matrícula escolar.

Para o consumidor que está inadimplente’ a recomendação é procurar as empresas para renegociar as dívidas e limpar o nome. Os economistas da Serasa Experian lembram que nesta época do ano se intensificam as campanhas para a regularização de pendências e’ portanto’ é uma boa oportunidade para sair da inadimplência.

Inadimplência das empresas sobe em outubro

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 13’3% em outubro’ na comparação com setembro último’ conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi a maior alta verificada desde outubro de 2012′ quando houve um avanço de 13’8% ante setembro daquele ano.

O levantamento também apontou elevações nas variações anual e acumulada. Na comparação entre outubro deste ano com igual mês de 2012′ o crescimento da inadimplência das empresas foi de 0’8%. Na relação entre os acumulados de janeiro a outubro de 2013 e 2012′ por sua vez’ o aumento foi de 1’4%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian’ a atual tendência de elevações das taxas de juros’ as oscilações da taxa de câmbio e o atual cenário de desaceleração da economia figuram entre os fatores que impulsionaram a inadimplência das empresas em outubro.

Nos dez primeiros meses do ano’ as dívidas não bancárias (cartões de crédito’ 

financeiras’ lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram um valor médio de R$ 811’48’ o que representou um crescimento de 6’2% ante igual período de 2012.

As dívidas com bancos’ por sua vez’ tiveram nos dez primeiros meses de 2013 um valor médio de R$ 5.230’33’ resultando em 0’8% de queda na relação com o acumulado de janeiro a outubro do ano anterior. 

Quanto aos títulos protestados’ o valor médio verificado de janeiro a outubro foi de R$ 2.055’25’ com aumento de 5’1% sobre igual acumulado de 2012. 

Por fim’ os cheques sem fundos tiveram’ nos dez primeiros meses de 2013′ um valor médio de R$ 2.432’90’ representando um aumento de 7’1% quando comparado com os dez primeiros meses do ano anterior.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.