DESMANCHE LEGAL É PASSO IMPORTANTE PARA SEGURO POPULAR DE AUTOMÓVEL

0
308

A reutilização de peças automotivas’ depois de anos em discussão’ sinaliza estar em fase final para entrar em vigor possivelmente a partir de 2014. A avaliação é de Paulo Marraccini’ presidente da FenSeg’ mediador da palestra “Desmontagem de Veículos”’ realizada na 6ª Conseguro. “Temos trabalhado para implementar a experiência argentina no Brasil”’ afirmou.

O setor se prepara para atuar com a reciclagem de peças assim que a Lei 23/2011′ conhecida como Lei dos Desmanches’ for aprovada. Em junho’ a Câmara aprovou o projeto que cria regras para o funcionamento e operação de desmontadoras de veículos no País. “Devemos isso ao empenho do deputado Armando Vergílio (PSD-GO) e aguardamos uma rápida aprovação pelo Senado”’ disse Marraccini.

Trata-se de um assunto prioritário para o mercado segurador implementar o seguro popular de veículos’ um dos pilares para o crescimento da carteira nos próximos anos’ por permitir a prática de preços mais acessíveis para veículos com mais de 5 anos de uso. A título de comparação’ Marracini citou uma conta apresentada pelo vice-presidente de automóveis da Porto Seguro’ Luiz Pomarole.

Segundo ele’ o custo de um paralama e de um capô originais de um veículo popular chega a R$ 900. O valor poderia ser de R$ 350′ se as peças fossem recicladas. 

Fabian Pons’ responsável pela Cesvi Argentina’ conta que a unidade seguiu o modelo adotado na Espanha’ país onde a política de reciclagem de peças já está consolidada. O programa de reciclagem argentino surgiu para tentar dar uma solução ao aumento de furtos e roubos de carros ocorridos durante a fase aguda da maior crise econômica do país vizinho’ entre 2002 e 2003. “O roubo era gerado com o claro objetivo de venda de peça”’ ressaltou. 

Diante disso’ foi criada em 2003 uma lei que permitiu o fechamento sumário de todos os desmanches. Em 2004′ surgiu o primeiro centro de reciclagem da Cesvi.?“A experiência registrada na Argentina trouxe vários benefícios’ como queda de aproximadamente 50% no índice de roubo e furto de veículos’ melhor tratamento de resíduos sólidos de descarte de peças’ reduzindo danos ao meio ambiente e aumento da base de segurados’ ao tornar o preço do seguro mais acessível”’ contou.Hoje a Cesvi fatura US$ 5 milhões por ano com a reciclagem das peças.

Francisco Gaetani’ secretário executivo do Ministério do Meio Ambiente’ ficou impressionado com as informações da Cesvi Argentina’ ressaltando a importância de ter a iniciativa privada para ajudar a solucionar problemas que afetam toda a sociedade. “Temos uma agenda histórica’ com desmatamentos’ mas há uma nova safra da agenda ambiental que precisa ser uma preocupação de todo o setor produtivo’ como mostra a recente política de resíduos sólidos’ que envolve o mercado automotivo. Acredito que podemos fazer muitas ações em parceria e assim ajudar a reduzir os impactos ao meio ambiente”’ disse.

 

Fonte: CNseg

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.