INADIMPLÊNCIA DAS EMPRESAS TEM O MENOR CRESCIMENTO PARA O TRIMESTRE DESDE 2011

0
314

 

Nos três primeiros meses do ano’ a inadimplência das pessoas jurídicas apresentou discreta elevação de 0’1% em relação ao primeiro trimestre do ano passado’ conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi o menor crescimento para o período desde 2011′ quando houve 8’1% de alta sobre o primeiro trimestre de 2010.

Na comparação entre março deste ano e igual mês de 2012′ por sua vez’ o recuo na inadimplência dos negócios foi de 3’9%. Já na relação entre março e fevereiro último’ o levantamento apontou um crescimento de 8’0%. 

De acordo com os economistas da Serasa Experian’ nos últimos dois anos’ a inadimplência dos negócios seguiu bem de perto o ritmo da atividade econômica e da inadimplência do consumidor. Com a presente recuperação econômica’ mesmo que não generalizada’ vários setores já sentem alívio em seu fluxo de caixa’ o que tem levado à lenta perda de fôlego da inadimplência das empresas.

Quanto ao crescimento mensal de 8’0% em relação a fevereiro’ cabe destacar que no segundo mês do ano a inadimplência das empresas havia recuado 12% em relação a janeiro. Assim’ a evolução de março perde representatividade por ser comparada com uma base fraca. 

 

*Decomposição do indicador

Decomposição do Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas

Março 2013 x Fevereiro 2013

 

Dívidas não bancárias

Bancos

Protestos

Cheques

Total

Variação (%)

1’1

2’5

7’1

31’2

8’0

Peso (%)

35’3

17’7

28’3

18’8

100

Contribuição (p.p.)

0’4

0’5

1’7

5’4

8’0

 

Valor médio das dívidas

No primeiro trimestre do ano’ as dívidas não bancárias (cartões de crédito’ financeiras’ lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram um valor médio de R$ 802’95’ o que representou uma alta de 2’5% ante igual período de 2012.

As dívidas com bancos’ por sua vez’ tiveram nos três primeiros meses de 2013 um valor médio de R$ 5.147’80’ resultando em 2’4% de recuo na relação com o acumulado de janeiro a março do ano anterior. 

Quanto aos títulos protestados’ o valor médio verificado no primeiro trimestre foi de R$ 1.941’69’ com elevação de 3’0% sobre igual acumulado de 2012. 

Por fim’ os cheques sem fundos tiveram’ nos três primeiros meses de 2013′ um valor médio de R$ 2.804’93’ representando um aumento de 26’9% quando comparado com o primeiro trimestre do ano anterior.

Metodologia 

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas’ por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil’ reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O indicador considera as variações registradas no número de cheques sem fundos’ títulos protestados e dívidas vencidas com instituições bancárias e não bancárias.

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.