Lucro operacional mais alto na história da Allianz

0
185
Oliver Baete, CEO Allianz

O Grupo Allianz atingiu resultados excelentes em receitas, lucro operacional e lucro líquido em 2019, apesar do recuo adicional nas taxas de juros. O crescimento das receitas internas, com os ajustes por efeitos cambiais e de consolidação, foi de 5,9%, puxado por todos os segmentos de negócio. As receitas totais aumentaram 7,6% totalizando 142,4 (2018: 132,3) bilhões de euros. O lucro operacional cresceu 3% registrando 11,9 (11,5) bilhões de euros e situando-se na porção superior da faixa prevista de 11 a 12 bilhões de euros anunciada pelo Grupo.

O crescimento do lucro operacional foi impulsionado sobretudo pelo segmento Vida/Saúde, devido a uma maior margem de investimento, a um lucro pontual positivo nos Estados Unidos e ao crescimento no volume. O segmento de Gestão de Ativos também reportou um forte aumento no lucro operacional devido à média mais elevada nos ativos de terceiros sob gestão (AuM) e aos efeitos positivos da conversão de moeda estrangeira. O segmento de atuação em Property & Casualty foi impactado negativamente pelo run-off reduzido, devido a um fortalecimento das reservas na AGCS, e ao menor rendimento operacional de investimentos. Isso foi parcialmente compensado pelo coeficiente de despesa majorado. O lucro líquido atribuível aos acionistas cresceu 6,1%, registrando 7,9 (7,5) bilhões de euros, devido sobretudo ao lucro operacional ampliado e ao resultado não-operacional melhorado, bem como à alíquota fiscal menor.

O Lucro Básico por Ação (EPS) aumentou 8,4% em 2019 atingindo um recorde de 18,90 euros (contra 17,43 anteriormente). O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RoE) cresceu para 13,6% (13,2%), atingindo o nível mais alto dos últimos dez anos. O Coeficiente de capitalização Solvency II chegou a 212% no final de 2019, comparado aos 229% no final de 2018. O Conselho de Administração irá propor um dividendo de 9,60 euros por ação para o ano de 2019. Esse valor está 6,7% acima do dividendo do ano passado que foi de 9 euros e foi o sétimo aumento consecutivo.

A Allianz finalizou o seu quarto programa de recompra de ações em 30 de julho de 2019, com um volume total de 1,5 bilhão de euros e 7,3 milhões de ações. Todas as ações recompradas foram canceladas. Em 20 de fevereiro de 2020, a Allianz anunciou um novo programa de recompra de ações de até 1,5 bilhão de euros, o qual deverá estar finalizado até o final do ano.

Entre as empresas do Grupo em âmbito mundial, 70% apresentaram Net Promoter Score (NPS) acima da média do mercado, comparado aos 74% registrados no ano anterior. O Índice de Meritocracia Inclusiva (IMIX), que mensura a cultura da liderança e do desempenho, alcançou em 2019 um nível sem precedentes, de 73%.

“2019 foi mais um ano bem-sucedido com resultados recordes para o Grupo Allianz. Isso reflete a confiança dos clientes e acionistas, bem como o engajamento dos nossos colaboradores que são excelentes. A Allianz continuou fazendo avanços estratégicos importantes em 2019, como as aquisições que fizemos no Reino Unido e no Brasil, além de recebermos o título de primeira holding de seguros 100% estrangeira na China. Nós também contribuímos para a sociedade, como um dos iniciadores da recém-lançada Asset Owner Alliance, a coalizão de investidores institucionais convocada pela ONU. Nós nos comprometemos a fazer a transição das nossas carteiras para investimentos com emissões Net-Zero de carbono até 2050”, declara Oliver Bäte (foto), CEO do Grupo Allianz.

No 4º trimestre de 2019, o lucro operacional totalizou 2,8 (2,8) bilhões de euros. O fortalecimento das reservas na AGCS levou a um lucro operacional menor no segmento de Property-Casualty, o qual foi em grande parte compensado pelo crescimento nos segmentos de atuação Vida/Saúde e Gestão de Ativos. Em Vida/Saúde, o lucro operacional aumentou sobretudo como resultado da margem de investimento ampliada. O forte aumento no lucro operacional apresentado pelo segmento de Gestão de Ativos pode ser atribuído majoritariamente ao crescimento nos ativos sob gestão (AuM), impulsionando as receitas e taxas de desempenho. O lucro líquido atribuível aos acionistas cresceu 9,5% passando a 1,9 (1,7) bilhão de euros no quarto trimestre de 2019 devido a um melhor resultado não-operacional.

“A Allianz teve um ano financeiro bem-sucedido em 2019, com lucro operacional de 11,9 bilhões de euros, situando-se na porção mais alta da faixa prevista de lucro operacional que foi anunciada pelo Grupo”, afirma Giulio Terzariol, CFO do Grupo Allianz. “A gestão de risco atuante levou a um forte coeficiente de capitalização Solvency II de 212%, mostrando a resiliência do Grupo no atual ambiente de taxas de juros negativas, promovendo um refúgio seguro para nossos clientes e acionistas. Nossa expectativa é gerar 12 bilhões de euros de lucro operacional em 2020, mais ou menos 500 milhões de euros – salvo imprevistos, crises ou catástrofes naturais.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.