No ano passado, pessoas seguradas receberam mais de R$ 14 bilhões em benefícios

0
251

Número se refere aos sinistros pagos ao longo do ano passado pelo mercado, e o estudo revela ainda que os seguros de pessoas cresceram 13,1% em prêmios, em relação ao ano anterior

Estudo consolidado pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida – Fenaprevi, com base nos dados da Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, mostra que em 2022 foram pagos R$ 57,9 bilhões em prêmios diretos de seguros de pessoas, superando o resultado de 2021 em 13,1%. A alta segue um ritmo de crescimento dos prêmios observado desde 2020, e que pode indicar uma maior preocupação da população em se prevenir frente a momentos adversos – comportamento já evidenciado em pesquisa da Fenaprevi encomendada ao Datafolha no final de 2020.

Do montante, quase metade (46%) se refere às modalidades de Vida (individual e coletivo) que juntas somaram R$ 27 bilhões, um incremento de 15,1% sobre o acumulado do ano anterior. Em seguida, com participação de 29% no total, o seguro Prestamista registrou R$ 16,7 bilhões em prêmios e uma variação de 7,1%.

O maior crescimento foi do ramo Viagem, 166,7% superior em prêmios a 2021, sendo um reflexo da retomada do turismo, passado o período mais intenso da pandemia da covid-19. Os seguros Funeral e Doenças Graves / Terminais também alcançaram números relevantes no período, crescendo respectivamente 15,1% e 18,9%.

Retorno a sociedade

Em termos de benefícios à população segurada, foram pagos R$ 14 bilhões de janeiro a dezembro de 2022. O valor caiu 18,9% em relação ao registrado no acumulado dos doze meses anteriores, quando o segmento foi impactado fortemente pela pandemia da Covid-19. Vale destacar que os pagamentos de benefícios em função da Covid-19 caíram de R$ 4,83 bilhões em 2021, para R$ 1,18 bilhão no ano seguinte.

Novamente, os seguros de Vida (individual e coletivo) se destacaram também pelo valor pago em benefícios – de R$ 8,1 bilhões, embora apresentando queda de 25,9% quando comparado ao ano prévio. O Prestamista, que obteve participação de 18% nos sinistros pagos em 2022, caiu 30,2% na mesma base de comparação. Outro ramo de seguro com redução elevada foi o Funeral, 16,6% em relação ao observado em 2021. Por outro lado, os seguros de Acidentes Pessoais, Doenças Graves / Terminais e Viagens registraram aumento de 18,9%, 32,4% e 77%, respectivamente, no acerto dos sinistros.

Captação em previdência privada supera R$ 156 bilhões

Segundo a Fenaprevi, resultado se refere aos prêmios e contribuições acumulados em doze meses, número 11,1% maior do que o ano anterior

Levantamento realizado pela Federação Nacional de Previdência Privada e Vida — Fenaprevi aponta que o mercado de previdência privada aberta alcançou R$ 156,2 bilhões em prêmios e contribuições de janeiro a dezembro, uma alta de 11,1% em relação a 2021.

O documento também informa que, atualmente, cerca de 10,8 milhões de pessoas possuíam algum plano de previdência até o final de 2022, o equivalente a 8% dos brasileiros com idade entre 20 e 65 anos. Números que indicam que, apesar das adversidades enfrentadas ao longo de 2022, quase 11 milhões de pessoas estão preocupadas em proteger a renda.

O total de ativos do setor, que representa a poupança previdenciária da sociedade, é de R$ 1,2 trilhão, ou cerca de 12,5% do PIB nacional. São 13,8 milhões de planos comercializados no total, dos quais, somente 65 mil desses (0,5%) estão em fase de recebimento de benefício, demonstrando como ainda é promissor este mercado.

Além disso, o estudo indica que os planos de previdência privada aberta cumpriram o seu papel social e de reserva financeira quando foi preciso, em dezembro, cerca de 300 mil pessoas realizaram resgates nos planos abertos com caráter previdenciário. Em 2022, os resgates somaram R$ 122,8 bilhões, que resultaram na captação líquida positiva de R$ 33,4 bilhões (diferença entre o total captado e a dedução dos resgates no período).

Desempenho por tipo de plano

O estudo também detalha mais informações. Ao analisar os 13,8 milhões de planos comercializados por produto, os dados mostram que 61% dos planos eram VGBL – Vida Gerador de Benefício Livre, 21% PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre e 18% Tradicionais de risco, acumulação ou FAPI.

Quanto à captação bruta, 90% são em planos VGBL; 8% em PGBL e 2% nos planos tradicionais. Em termos monetários, foram mais de R$ 140,3 bilhões em prêmios no VGBL, R$ 12,7 bilhões em contribuições no PGBL, e de R$ 3,2 bilhões nos planos tradicionais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.