Qual é o seguro ideal para proteger armazéns e silos?

0
490

O Brasil enfrenta desafios para armazenar a produção agropecuária. Atualmente, há um déficit de cerca de 115 milhões de toneladas em capacidade de armazenamento, de acordo com estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), o que pode causar muitos prejuízos aos produtores.

Para se ter noção do déficit, basta comparar o Brasil com outros países. Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nas fazendas americanas, canadenses e argentinas, os produtores detém capacidade instalada de armazenagem de cerca de 65%, 85% e 40%, respectivamente. Enquanto isso, no Brasil, o índice fica em torno de apenas 14%.

A falta de estrutura adequada para armazenar grãos e outros produtos agrícolas pode resultar em perdas significativas relacionadas com o acondicionamento inadequado, com danos causados por fatores como umidade, temperatura inadequada e incidência de microrganismos.

Riscos do segmento

Mesmo aqueles que investem em infraestrutura e conseguem armazenar suas produções corretamente também enfrentam riscos. A ocorrência de intempéries, como chuvas excessivas, vendavais e queda de raios, pode prejudicar a estrutura de silos e armazéns, o que torna a contratação de um seguro uma medida essencial para proteger o patrimônio.

“O silo ou armazém representam o ‘cofre’ do dinheiro do produtor. Tudo que ele produziu depende disso. Então é importante contratar um seguro para manter a estabilidade e a integridade desse ‘cofre’ que é a benfeitoria para armazenagem”, afirma Fabio Damasceno, diretor de agronegócios da FF Seguros.

Estruturas de armazenagem

Há diferentes tipos de benfeitorias que desempenham função de armazenagem, construídas com materiais como concreto, metal, alvenaria e madeira. A opção mais popular é o silo metálico, uma estrutura cilíndrica fabricada geralmente com aço galvanizado e uma base de concreto. O silo metálico é uma benfeitoria resistente e durável que pode armazenar grãos por longos períodos.

No interior desse silo, há sistemas com sensores que monitoram e coletam dados de temperatura e umidade, além de mecanismos para promover a ventilação no ambiente, com o objetivo de manter os grãos com qualidade e segurança, evitando a proliferação de fungos e bactérias. “Cada produto agrícola requer diferentes cuidados durante a armazenagem. A soja, por exemplo, precisa de secagem e manejo para manter o índice de umidade do grão em torno de 11%”, diz Damasceno.

Qualquer silo metálico, com no máximo 30 anos de operação, pode ser assegurado por uma apólice patrimonial rural para benfeitorias. No entanto, se o silo for um bem dado em garantia de financiamento, deverá ser protegido por outra modalidade: o seguro de penhor rural.

A entrada e a retirada de produtos do silo geralmente ocorre por meio de esteira transportadora, elevadores de caneca e outros equipamentos que também precisam ser protegidos. Os elevadores de caneca e outros itens podem ser acrescentados na mesma apólice, sendo incluídos na modalidade “máquinas e equipamentos”. Além disso, o produtor pode optar ainda por incluir os produtos agropecuários na apólice, por meio da inclusão da modalidade “mercadorias”.

Segundo Damasceno, o mais temido risco que compromete as estruturas de armazenagem é o incêndio. “Durante um incêndio, as altas temperaturas podem provocar o derretimento das chapas de metal e danificar sensores. Pode ocorrer a perda total do silo ou deformidade na estrutura que compromete a sua capacidade de vedação”, explica Damasceno.

Outro risco frequente é o tombamento de elevadores de caneca provocado por vendaval. No caso dos elevadores de caneca, é comum a ocorrência de explosão por acúmulo de poeira no equipamento. Há ainda o temor da queda de raio, que geralmente pode entortar placas do silo ou danificar o sistema elétrico.

Os armazéns de alvenaria também são muito tradicionais no campo, construídos com materiais como tijolos, blocos de concreto ou pedras e que podem ser personalizados para atender às necessidades específicas do agricultor, com a inclusão de sistemas de ventilação ou revestimentos internos para proteção adicional. Essas estruturas podem sofrer danos por incêndio e outros riscos, sendo cabível o seguro para benfeitorias com as mesmas condições.

Seguro patrimonial rural e de penhor rural

Independentemente de qual seja a estrutura de armazenagem na fazenda, os bens podem ser assegurados. Os seguros patrimonial rural e de penhor rural para benfeitorias oferecem coberturas básicas contra incêndio, queda de raio e explosão. O produtor pode optar por acrescentar coberturas adicionais como alagamento, inundação, vendaval, danos elétricos, roubo e furto mediante arrombamento, entre outras.

No entanto, para que as coberturas sejam válidas, é essencial que o bem seja utilizado respeitando normas de segurança. O produtor deve realizar a adequada limpeza e manutenção das benfeitorias porque, quando fica comprovado um erro de manejo, o sinistro não tem cobertura. “Observamos um caso em que o agricultor não respeitou a capacidade do seu armazém. Foi armazenado um volume de milho muito acima da capacidade instalada do armazém de alvenaria e, por isso, a estrutura cedeu e uma parede caiu. Nesse caso, a perícia técnica concluiu que o dano foi causado por um erro de manejo, indeferindo dessa forma a indenização”, exemplifica Damasceno.

A apólice patrimonial rural ou de penhor rural pode incluir a opção de máquinas e equipamentos. Além disso, o seguro pode contemplar as mercadorias atreladas às benfeitorias, proporcionando a proteção da produção de soja, milho, trigo, feijão, arroz, amendoim, café ou da criação de aves, suínos e bovinos.

Outra opção, com o melhor custo-benefício, seria a contratação de um seguro patrimonial rural “porteira fechada”, que permite assegurar todas as benfeitorias presentes no interior da fazenda no momento da contratação, sendo ainda possível assegurar máquinas e equipamentos e mercadorias com a inclusão item a item. Entre os diferenciais da FF Seguros, a seguradora permite que o seguro patrimonial rural tenha negociação flexível para que o produtor possa decidir o valor segurado (variando de 40% a 100% do valor total dos bens). No caso do seguro de penhor rural, por estar atrelado a uma operação de crédito, deve considerar 100% do valor do risco. Em ambos o casos, a duração da apólice pode ser anual ou plurianual, com até cinco anos de vigência.

Mercadorias em silo-bolsa

Embora a FF Seguros não ofereça seguro para silo-bolsa, excepcionalmente os grãos armazenados nesse tipo de silo podem ser protegidos pela apólice patrimonial rural para mercadorias. O silo-bolsa, que é indicado em situações emergenciais para o armazenamento temporário de grãos, é confeccionado com um plástico flexível, geralmente de polietileno. Nesse caso, para exigibilidade da apólice, deve haver uma distância superior a 1,5 metro entre os silos, sendo que eles devem ser mantidos sempre em terreno firme, plano e limpo.

Foto – Silo metálico de grande porte danificado por vendaval

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.