Icatu e Caixa Seguridade: distribuição de capitalização

0
245

A Icatu Seguros e a Caixa Seguridade anunciaram a conclusão do acordo para a abertura de uma nova empresa, que irá atuar com exclusividade por 20 anos na distribuição de produtos de capitalização nas agências e correspondentes bancários da Caixa Econômica Federal e também na rede de lotéricas.

A Icatu terá 25% do capital total da nova companhia, enquanto a Caixa 75%. Com gestão e governança compartilhadas, a empresa será controlada pela Icatu, que vai deter 50,1% das ações ON (com direito a voto). Já a Caixa terá 49,9% das ações ON e 100% das ações preferenciais.

Com este movimento, a Icatu consolida uma sólida parceria de mais de 20 anos com a Caixa Econômica no segmento de capitalização. A seguradora irá realizar um aporte de capital de R$ 180 milhões na nova empresa, valor que será repassado à Caixa Econômica Federal como pagamento pela concessão da utilização dos canais do banco. Caberá também a Icatu prover parte dos serviços para operacionalizar a nova companhia.

“A Icatu possui um portfólio diversificado, com produtos comercializados em todas as modalidades praticadas pelas empresas de capitalização. Através da nossa expertise, poderemos oferecer uma variedade maior de produtos que atendam aos diferentes perfis de clientes da Caixa, de acordo com suas necessidades”, afirma Luciano Snel (foto), presidente da Icatu Seguros.

Para Marcelo Oliveira, diretor de Capitalização da Icatu Seguros, o negócio representa a confiança que a empresa deposita no segmento. “Nos últimos três anos nos unimos ao Banrisul na criação da Rio Grande Capitalização, compramos as operações da Cardif Capitalização no Brasil, a carteira de capitalização da SulAmérica e aumentamos nossa participação na CaixaCap, o que amplia cada vez mais nossa posição neste mercado e na oferta de produtos e soluções sob medida”, pontua.

A Caixacap continuará comercializando os produtos de capitalização nos balcões do banco até fevereiro de 2021, data em que passa a contar o prazo de exclusividade da nova companhia.

O prazo para cumprimento das condições precedentes é janeiro de 2021. A efetivação da operação ainda está sujeita à aprovação da Superintendência de Seguros Privados (Susep), Banco Central (Bacen), do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (SEST).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.