Porto Seguro reúne cerca de 900 corretores em encontro no Rio de Janeiro

0
469

A Porto Seguro realizou em 22 de novembro encontro para corretores, no MAM Rio (Museu de Arte Moderna), com foco nos desafios e nas oportunidades para o mercado de seguros no Rio de Janeiro. O evento, que reuniu cerca de 900 corretores de várias regiões do Estado do Rio de Janeiro, celebrou também parcerias de sucesso e apresentou novidades em produtos e serviços. Estiveram presentes o presidente da Porto Seguro, Roberto Santos, o diretor-geral, Rivaldo Leite, o diretor da Azul Seguros, Felipe Milagres, e o diretor comercial do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste, Marcos Silva.

“Estamos vivendo o ano da virada. Depois de três anos muito difíceis para o mercado como um todo, é um momento de retomada e os indicadores econômicos do Rio apontam para esse caminho, não só para o setor de seguro”, destacou Roberto Santos, presidente da Porto Seguro.

O Rio de Janeiro faz parte da história da Porto Seguro. Há 71 anos a companhia está presente no Estado, um mercado estratégico para o crescimento dos negócios. “Esse evento é um momento para marcar uma nova fase, uma nova etapa: um reencontro especial da Porto Seguro com o Rio de Janeiro”, afirmou Marcos Silva.

Durante o evento, Roger Garcia, superintendente da Porto Seguro Financeira, destacou também o sucesso e os benefícios do Cartão de Crédito Porto Seguro Empresarial, lançado em outubro deste ano. “Focado em Micro, Pequenas e Médias empresas, o novo cartão é o único do mercado que oferece de forma gratuita acesso às plataformas Mastercard Empreendedor, portal que dá acesso a descontos e conteúdos voltados para o mundo empresarial e Mastercard Controle Empresarial, onde o empresário poderá incluir filtros de gastos para os cartões dos funcionários. Além disso, facilita o dia a dia dos empresários através de diversos benefícios exclusivos Porto Seguro, como Desconto no Porto Seguro Empresa, Pacote Porto Faz Empresarial, com três serviços gratuitos por ano e muito mais”.

Foto – Diretor-geral da Porto Seguro, Rivaldo Leite, ao lado de convidados e do diretor comercial do Rio de Janeiro, Espírito Santo, Norte e Nordeste, Marcos Silva. Crédito  – PH Noronha

No balanço do 3º trimestre de 2018, resultado operacional três vezes maior

No terceiro trimestre de 2018, a Porto Seguro ampliou a rentabilidade em relação ao ano anterior e manteve a consistência apresentada nos últimos trimestres, fruto principalmente da disciplina de precificação, que permitiu uma redução significativa na sinistralidade e do foco no aumento da eficiência operacional, que proporcionou o menor índice histórico de despesas administrativas e operacionais. Consequentemente, no acumulado dos nove primeiros meses do ano, o resultado operacional foi três vezes maior, superando o impacto da redução da taxa de juros nas aplicações financeiras.

A receita total evoluiu impulsionada pelo crescimento do seguro Auto, Saúde e das Operações de Crédito. Por outro lado, os seguros Patrimoniais e de Vida obtiveram menor desempenho de vendas, principalmente devido a uma maior competividade no período.

O Índice Combinado melhorou 4,6 p.p., decorrente da redução da sinistralidade e de despesas administrativas e operacionais. Os ajustes tarifários iniciados no final de 2016, aliados ao aprimoramento dos modelos de subscrição e a redução nas frequências de riscos levaram a uma queda de 5,3 p.p. na sinistralidade do seguro auto. Além disso, os esforços para ajustar processos e intensificar o uso da tecnologia aumentaram a produtividade, resultando em uma diminuição de 2,1 p.p. no índice D.A + D.O do trimestre (vs. 3T17) e de 1,3 p.p. no acumulado do ano (vs. 9M17).

Nos negócios financeiros, as operações de crédito apresentaram forte crescimento (+25%), com a inadimplência permanecendo abaixo da média de mercado e intensificando a lucratividade do produto. Já no segmento de serviços, a operação da Conecta está sendo encerrada, através do acordo de transferência da carteira de clientes para a operadora TIM, dando continuidade a estratégia de focar em negócios que alcancem diferenciais competitivos.

O resultado das aplicações financeiras (ex-previdência) reduziu no trimestre em função da queda do CDI médio (-30% vs. 3T17). Contudo, a companhia alcançou um bom resultado relativo, superando o benchmark (128% do CDI), em virtude do desempenho dos títulos com juros indexados a inflação e prefixados.

Excluindo-se os efeitos não recorrentes da venda da participação do IRB (Brasil Resseguros S.A.) no 3º trimestre de 2017, o lucro líquido aumentou 23% no trimestre e 31% no ano, atingindo R$ 318 milhões e R$ 931 milhões respectivamente. O ROAE alcançou 18,9% no 3T18 e 18,0% no 9M18. A rentabilidade dos negócios da Empresa com capital ajustado (sem excesso) e considerando o retorno de investimentos de 100% do CDI seria de 27,7% no 3T18 e de 24,6% no acumulado do ano.

A companhia tem demonstrado resiliência em períodos econômicos mais difíceis e segue otimista diante das oportunidades da indústria de seguros e dos diferentes setores em que atua.

Principais destaques

  • Receita Total: R$ 4,5 bilhões (+3%)
  • Prêmios Auferidos: R$ 3,8 bilhões (+3%)
  • Receita Demais Negócios: R$ 595 milhões (+10%)
  • Resultado Financeiro: R$ 225 milhões (-18%) *
  • Índice Combinado: 91,7% (-4,6 p.p.)
  • Lucro Líquido: R$ 318 milhões (+23%) *

*Excluindo efeitos não recorrentes da venda da participação do IRB (Brasil Resseguros S.A.) no 3º trimestre de 2017.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.