Zurich entra no mercado de energias renováveis

0
199

A Seguradora Zurich tem a ambição de ser uma das empresas mais responsáveis e de maior impacto do planeta. Para tal, além de ter assumido diversos compromissos mundiais e locais, tornando-se referência em sustentabilidade, e desenvolvido projetos pioneiros no tema, a companhia está anunciando a sua entrada no segmento de energias renováveis.

O foco da empresa será, além do setor de hidrelétricas (em que já atuava), os segmentos de geração de energia solar e eólica, com os seguros de Riscos Nomeados e Operacionais e Riscos de Engenharia (ideal para empresas de engenharia, construtoras, empreiteiras, incorporadoras, bem como para empresas que desejam construir ou ampliar seus parques industriais). Outros produtos, como o Zurich Cyber Solutions (seguro cibernético), D&O (seguro para administradores), seguro Garantia (proteção necessária para viabilizar negócios) e o seguro de Responsabilidade Civil também estão disponíveis.

Levantamento da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) aponta que em 2022 houve avanço da energia renovável no Brasil com 92% de participação de usinas hidrelétricas, eólicas, solares e de biomassa no total gerado pelo Sistema Interligado Nacional – SIN, o maior percentual dos últimos 10 anos.

“Assistimos ao avanço das discussões sobre sustentabilidade ao redor do mundo e temos o compromisso de apoiar a transição energética dos nossos parceiros e clientes, como parte da agenda ampla de ESG. O Brasil tem um grande potencial no setor de energias renováveis em todas as suas frentes, e queremos contribuir para que o segmento avance e amplie as possibilidades de matriz energética para todo o mercado”, analisa José Bailone (foto), diretor executivo de Seguros Corporativos e de Subscrição de Ramos Elementares da Seguradora Zurich.

Ele acrescenta que a Zurich tem como diferencial um time de Engenharia de Riscos extremamente qualificado, com expertise global, que pode apoiar os clientes na tomada de decisões pertinentes ao negócio e ao mercado. “Temos uma rede global com mais de 750 engenheiros de riscos capacitados a oferecer soluções e serviços locais, regionais ou mundiais, inclusive com especialidade em energias renováveis”, pontua o diretor.

Resiliência climática também é foco da companhia

A Zurich lançou globalmente no último dia 14 o estudo “Acelerando a Transição Climática: Pensamento de longo prazo para ação de curto prazo”, em parceria com a agência global de insights Horizon Group. Segundo a pesquisa, promovida com mais de 660 líderes de sustentabilidade de grandes empresas do mundo, 85% pretendem implantar medidas de adaptação climática nos próximos cinco anos.

Os executivos brasileiros entrevistados acreditam que o setor de seguros pode apoiá-los na transição por meio de gestão de riscos (74%), avaliação de riscos (71%) e formação de parcerias (61%).

“Nossa entrada do mercado de energias renováveis, fundamental em um cenário de transição climática, é um passo muito importante para apoiar o setor com ferramentas de proteção e gestão de riscos”, afirma Bailone. “Porém, como corrobora a pesquisa, entendemos que é preciso ir além em todos os setores, oferecendo ferramentas de prevenção que ajudem as empresas a se tornarem mais resilientes nesse cenário”.

Com esse propósito, a Zurich lançou no Brasil, em julho, uma nova solução de engenharia de riscos focada na prestação de serviços de prevenção: a Zurich Resilience Solutions (ZRS). O amplo leque de soluções disponibilizado pela companhia inclui serviços de resiliência climática para diversos segmentos da indústria.

Essas soluções estão disponíveis para empresas que necessitam de consultoria especializada, mesmo que ainda não sejam clientes da Zurich, e têm como objetivo permitir o entendimento de como os riscos climáticos, cada vez mais frequentes, podem afetar operações de negócios, estratégia e posição financeira das empresas – no Brasil, a companhia está atuando sobretudo focada em alagamentos e vendavais.

Além disso, a Zurich possui recursos que simulam os impactos das mudanças climáticas, considerando as expectativas do aumento ou controle do aquecimento global para os próximos 20 ou 30 anos, além dos impactos para alagamento, seca, vendaval, temperaturas extremas, entre outros, para cada local. Isso pode ajudar os clientes a se planejarem dentro de um contexto de mudanças climáticas.

“As empresas costumam sofrer com a falta de dados, ferramentas e insights relevantes e confiáveis para ajudá-las a mitigar seus riscos. A ZRS é nossa resposta direta para resolver esse problema”, conclui Bailone.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.